Final da Copa do Brasil: retrospecto de times que venceram jogo da ida anima o São Paulo - Esportes
ESPORTES

Final da Copa do Brasil: retrospecto de times que venceram jogo da ida anima o São Paulo

Na maioria das decisões, vencer o primeiro jogo foi sinônimo de títulos; apenas três títulos na história desafiaram a estatística


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

A vitória por 1 a 0 contra o Flamengo pela partida de ida da final da Copa do Brasil, no domingo passado, animou os são paulinos, que sonham com a inédita conquista.

E não é para menos, já que, historicamente, times que vencem o primeiro jogo da decisão nesta competição, costumam sair campeões - embora haja exceções.

  

Jogadores do São Paulo comemoram vitória
Rubens Chiri/Saopaulofc.net

A Copa do Brasil teve sua primeira edição em 1989. Durante o período desta competição, houve 34 finais, e em 20 delas, uma das equipes venceu a primeira partida da decisão.

Quando isso ocorreu, o time que ganhou o jogo se sagrou campeão em 16 ocasiões, e apenas quatro vezes a equipe que perdeu o jogo de ida conseguiu reverter o revés para levantar o título.

Confira as vezes em que o time que venceu na ida se sagrou campeão

1990: Flamengo (decidiu fora de casa) 

Venceu o Goiás por 1 a 0 no jogo da ida

Empate por 0 a 0 na volta

1995: Corinthians (decidiu fora de casa)
Venceu o Grêmio por 2 a 1 na ida
Venceu novamente por 1 a 0 na volta no estádio Olímpico

1999: Juventude (decidiu fora de casa)
Venceu o Botafogo por 2 a 1 na ida
Empatou por 0 a 0 no Maracanã

2002: Corinthians (decidiu fora de casa)
Venceu o Brasiliense por 2 a 1 na ida
Empatou por 0 a 0 jogando no estádio Boca do Jacaré, no Distrito Federal

2005: Paulista (decidiu fora de casa)

Venceu o Fluminense por 2 a 0 na ida

Empatou por 0 a 0 jogando em São Januário

2006: Flamengo (decidiu como visitante)
Venceu o Vasco por 2 a 0 na ida
Venceu novamente o rival por 1 a 0 no Maracanã

2009: Corinthians (decidiu fora de casa)
Venceu o Internacional por 2 a 0
Empatou por 2 a 1 jogando no Beira Rio

2010: Santos (decidiu fora de casa)
Venceu o Vitória por 2 a 0
Perdeu por 2 a 1 jogando no Barradão

2011: Vasco da Gama (decidiu fora de casa)
Venceu o Coritiba por 1 a 0
Perdeu para o Coxa por 3 a 2 no Couto Pereira, e foi campeão graças ao critério de gol marcado fora de casa

2012: Palmeiras (decidiu fora de casa)
Venceu o Coritiba por 2 a 0
Empatou por 1 a1 jogando no Couto Pereira

2014: Atlético Mineiro (decidiu como visitante)
Venceu o Cruzeiro por 2 a 0
Venceu novamente o rival por 1 a 0 no Mineirão

2016: Grêmio (decidiu como mandante)
Venceu o Atlético Mineiro por 3 a 1
Empatou por 1 a 1 jogando em Porto Alegre

2018: Cruzeiro (decidiu fora de casa)
Venceu o Corinthians por 1 a 0
Venceu novamente por 2 a 1 jogando na Neo Química Arena

2019: Athletico Paranaense (decidiu fora de casa)
Venceu o Internacional por 1 a 0
Venceu novamente por 2 a 1 jogando no Beira Rio

2020: Palmeiras (decidiu fora de casa)
Venceu o Grêmio por 1 a 0
Venceu novamente por 2 a 0 jogando na Arena do Grêmio

2021: Atlético Mineiro (decidiu fora de casa)
Venceu o Athletico Paranaense por 4 a 0 na ida
Venceu novamente por 2 a 1 jogando na Ligga Arena

Flamengo se apega em alguns (poucos) exemplos de virada

O Flamengo precisa, obrigatoriamente, vencer a partida no Morumbi para sonhar com o pentacampeonato da Copa do Brasil.

Para "salvar" o ano de 2023, o rubro-negro se espalha nos feitos de Palmeiras, Internacional e Sport.

Os três clubes foram os únicos a se sagrarem campeão do torneio após perderem o jogo de ida.

Joga contra o Flamengo que todos eles decidiram o torneio jogando como mandante, o que não será o caso neste domingo (24). Apesar disso, a crise flamenguista é tamanha, que já é um fato que o torcedor pode se apegar.

1992: Internacional (decidiu como mandante)
Perdeu para o Fluminense por 2 a 1
Venceu por 1 a 0 na volta no Beira-Rio
*Pelo critério de gol marcado fora de casa, Colorado se sagrou campeão

1998: Palmeiras (decidiu como mandante)
Perdeu para o Cruzeiro por 1 a 0 na ida
Venceu a raposa por 2 a 0, jogando no Morumbi

2008: Sport (decidiu como mandante)
Perdeu para o Corinthians por 3 a 1
Venceu o Corinthians por 2 a 0 na Ilha do Retiro, e foi campeão graças ao critério de gol marcado fora de casa

2015: Palmeiras (decidiu como mandante)
Perdeu para o Santos por 1 a 0
Venceu o rival por 2 a 1 no Allianz Parque, e nas decisões de pênaltis, se sagrou campeão

Cinco finais perdidas, brigas e clima tenso: entenda a crise do Flamengo em sete atos

O ano de 2023 não está sendo fácil para o Flamengo: foram brigas, polêmicas e vários títulos perdidos. Mas a crise do time carioca não começou em janeiro, veio de antes, no fim de 2022, com a saída de Dorival Jr.

1. Saída abrupta de Dorival 
Em apenas cinco meses de trabalho no Flamengo, Dorival conseguiu conquistar a Libertadores e a Copa do Brasil. Mesmo assim, o técnico foi surpreendido com a não renovação do contrato por parte da diretoria e pela informação de que já havia um substituto para a sua vaga: Vítor Pereira.

O português, no entanto, ficou menos que Dorival no clube. Saiu com pouco mais de três meses, em uma passagem conturbada e marcada por derrotas (foram cinco taças perdidas)

2. Derrotas em todas as finais
Na conta de Vítor Pereira há cinco finais que escaparam do Flamengo (Mundial, Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana, Campeonato Carioca e Taça Guanabara), mas o time ainda aumentou a lista, com a perda da Libertadores (esta já sob o comando de Sampaoli).

No Brasileirão, está 12 pontos atrás do líder e tem apenas 1,2% de chance de ser campeão

3. Futuro incerto na Copa do Brasil
A única competição em que segue vivo é a Copa do Brasil, mas começou com o pé esquerdo: no jogo de ida, no Maracanã, viu o São Paulo abrir a vantagem de 1 a 0. Agora, no Morumbi, o time carioca terá de correr atrás do prejuízo.

4. Polêmica extracampo 
O nome do Flamengo teve uma repercussão negativa nos noticiários. Em julho, Pedro foi agredido com um soco no rosto pelo preparador físico Pablo Fernández, que foi afastado do cargo.

5. Brigas no elenco 
Menos de três semanas depois da agressão a Pedro, Gerson e Varela brigaram no treino. O lateral fraturou o nariz após levar um soco do meia, mas os dois se entenderam pelo 'bem do coletivo'.

6. Falta de sintonia entre elenco e treinador 
Os bastidores no Flamengo não são favoráveis para Sampaoli. Além dos títulos perdidos, o clube carioca soma inúmeras derrotas em 2023. A demissão após a final da Copa do Brasil é quase certa, por vontade da diretoria e da torcida.

O técnico, por sua vez, já deixou claro que o Rubro-Negro não tem o seu DNA e está longe dos outros times que ele já comandou. Essa falta de identidade ficou evidente antes do jogo contra o São Paulo, quando os jogadores se reuniram por uma hora em um auditório, sem a presença do treinador.

7. Bronca da torcida
Mas não é só o técnico que está na boca da torcida, os jogadores também. O alvo mais recente foi Gabigol, duramente criticado por ter feito uma festa de aniversário em meio à crise do Flamengo. Torcedores protestaram no portão da festa e, no último domingo, o camisa 10 saiu vaiado do Maracanã.

Constantemente, a equipe sai de campo aos gritos de 'time sem-vergonha'

Fonte: R7


Dê sua opinião:

Fique conectado