Número de estupros reduz 26,71% no Piauí em relação ao ano passado, diz Secretaria de Segurança - Polícia
DADOS

Número de estupros reduz 26,71% no Piauí em relação ao ano passado, diz Secretaria de Segurança

Dados são referentes ao 1º trimestre deste ano e comparados ao mesmo período em 2023


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

A Secretaria de Segurança do Piauí (SSP-PI) divulgou nesta quarta-feira (03) o relatório “Dados Estaduais de Segurança Pública 2024”, referente ao 1º trimestre. Dentre as informações constam as de estupros e estupros de vulnerável no estado. Segundo a SSP-PI, houve uma redução de 29% nos estupros e 26% nos estupros de vulnerável em relação ao mesmo período no ano passado.

De acordo com os dados divulgados em relação ao estupro, foram registrados, em 2023, 27 crimes em janeiro, 35 crimes em fevereiro e 24 crimes em março, somando 86 crimes. Já em 2024 aconteceram 21 crimes em janeiro, 15 em fevereiro e 25 em março, somando 61 crimes nesses três meses. Os números mostram uma redução de 29% nesse tipo de crime.

  

Número de estupros reduz 26,71% no Piauí em relação ao ano passado, diz Secretaria de Segurança Reprodução
   

Já os dados referentes ao estupro de vulnerável mostram que aconteceram, em 2023, 71 crimes em janeiro, 69 em fevereiro e 96 em março, somando 236 crimes. Em 2024 foram registrados 68 crimes em janeiro, 53 em fevereiro e 54 em março, somando 175 crimes. Os números mostram uma redução de 26% nesse tipo de crime.

Somando os dois dados, ocorreram 322 casos em 2023 e 236 casos em 2024, uma redução total de 26,71%. Por dia, em 2023, aconteceram 3,6 ocorrências por dia e em 2024, 2,6 ocorrências por dia. No ano passado, 92% das vítimas eram do sexo feminino e 8% do sexo masculino. Neste ano, 86% das vítimas eram do sexo feminino e 13% do sexo masculino. 

Em 2023, as cidades que mais registraram casos foram Teresina (90), União (23) e Água Branca (22). Em 2024, Teresina (64), Campo Maior (12), Cocal (12), Demerval Lobão (12), Picos (12) e União (12) foram as cidades que mais registraram crimes como esses. 

“O estupro de vulnerável é uma questão que toca muito as famílias, eu acho que a gente precisa discutir isso, principalmente porque muito dos crimes de estupro são cometidos por um pai, padrasto, irmão, tio, então esse tipo de crime as vezes até a família tenta não registrar. Então é importante que a gente crie uma rede de proteção para que as crianças sejam protegidas. Isso é uma coisa que me preocupa e que não vai ser resolvida pelo estado. O estado não pode entrar na casa das pessoas, tem que ser resolvida pelas pessoas que entendem que os bens e as pessoas mais importantes da sociedade são suas crianças”, disse o secretário de Segurança Pública, Chico Lucas.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado