Idosa entrega arma usada no assassinato de criminoso que invadiu sua casa em Teresina - Política
INVESTIGAÇÃO

Idosa entrega arma usada no assassinato de criminoso que invadiu sua casa em Teresina

Vítima alega que alertou criminoso para não arrombar comércio, mas foi ignorada; polícia apura versão de legítima defesa


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

A idosa de 81 anos se apresentou ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para prestar esclarecimentos sobre o assassinato de um homem que invadiu seu comércio no último dia 4 de setembro, no bairro Tabuleta, na zona Sul de Teresina. A arma, calibre 38, foi entregue à polícia e segundo a idosa o instrumento pertencia ao marido falecido há mais de 30 anos

Ao todo foram feitos três disparos que atingiram o criminoso. À TV Antena 10, o delegado Jorge Terceiro declarou que a idosa também informou que não costumava utilizar arma de fogo, mas que já havia visto a forma de manuseio em filmes. 

  

Idosa entrega arma usada no assassinato de criminoso que invadiu sua casa em Teresina
TV Antena 10

   

"Realmente nós ouvimos a idosa dois dias após o fato, ela se mostrou uma pessoa bem consciente apesar da idade. Ela disse que a arma de fogo com a qual ela reagiu ao arrombamento pertence a ela e ao esposo que já faleceu há muitos anos e ele tinha essa arma guardada em casa. O indivíduo que arrombou o estabelecimento tinha diversas passagens também por roubo no estado do Maranhão, além de outros delitos. Ouvimos ela que se mostrou muito calma, o filho também foi ouvido e vale ressaltar que ela vive sozinha por opção dela. Tem alguns vizinhos que vão ser ouvidos e até o momento a versão está batendo", afirma o delegado. 

Identificada apenas pelas iniciais D.R.A.M, a idosa teria se surpreendido com o homem que utilizou ferramentas para arrombar o comércio, local que fica abaixo da casa da mulher, por volta das 2h de segunda-feira (04). Após arrebentar a porta o homem adentrou o comércio onde pretendia realizar o furto. Ela, de posse de uma arma de fogo, teria efetuado três disparos. No dia do ocorrido, o filho da idosa a retirou da cena do crime e a levou para um local seguro, além de também guardar a arma.


"Ela ouviu o barulho do indivíduo cortando os alicates, que ele estava com uma ferramenta, e ela da parte superior alegou que já havia pedido para o rapaz não fazer aquilo. O indivíduo nao parou a empreitada criminosa, adentrou no imóvel, ela pegou a arma que ficava no guarda roupa, desceu por uma escada interna, encontrou ele dentro do estabelecimento na parte do balcão e ela pediu para ele manter distância. Ela disse que ele segurava algo, nao sabia se era uma faca, ou alicate, e quando ele tentou se aproximar ela apontou a arma e efetuou vários disparos em direção ao individuo", explica o delegado. 

Segundo a polícia, a arma foi devolvida com três munições deflagradas e duas intactas. O material foi enviado para perícia. O delegado afirma não haver necessidade de pedir a prisão da idosa. Outras testemunhas serão ouvidas até a conclusão do inquérito: "A investigação está transcorrendo tranquilamente e não há a nosso ver necessidade de qualquer tipo de prisão. Se corroborando as informações, pode ficar clara a questão de legitima defesa. Por isso não vejo a necessidade de prisão", finaliza o delegado.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Em destaque

Enquete

Qual sua opinião sobre a inelegibilidade do ex-presidente Jair Bolsonaro

ver resultado