Ministério da Saúde implanta rede de atenção à saúde indígena no Piauí - Saúde
SAÚDE

Ministério da Saúde implanta rede de atenção à saúde indígena no Piauí

A medida vai impactar cerca de 4,1 mil indígenas de 7 etnias que residem no Piauí


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

o Ministério da Saúde está implantando a rede de assistência à saúde indígena no Piauí, com criação de unidades do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), quatro polos de atenção e inserção de equipes formadas por profissionais de múltiplas especialidades, para atendimento das comunidades que vivem no estado.

Com a conclusão dessas ações, pela primeira vez, todas as unidades da federação farão parte do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena do Sistema Único de Saúde (SUS).

A medida vai impactar 4,1 mil indígenas de 7 etnias residentes no Piauí. “Vamos garantir uma política de saúde específica e diferenciada a essas populações, que tiveram o direito à saúde historicamente negado”, conta o coordenador-Geral de Gestão das Ações de Atenção à Saúde Indígena, Antônio Fernando.

  
Indígenas
FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM / AGÊNCIA BRASIL
 
 
 

Quatro novos polos de atenção no Piauí

No Piauí, serão formados quatro polos de atenção à saúde indígena:

Piripiri e Lagoa de São Francisco;
Uruçui e Baixa Grande do Ribeiro;
Bom Jesus e Currais;
Paulistana e Queimadas Novas.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que 4,1 mil indígenas das etnias Tabajara, Caboclo Gamela, Kariri, Caboclo da Prata, Akroá Gamela, Guegué de Sangue e Tapuios residem em dez municípios do Piauí. Com a abertura dos polos, esses grupos terão acesso a atendimento de saúde com equipe multidisciplinar, composta por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentistas, auxiliares de saúde bucal e agentes indígenas de saúde.

A inserção de profissionais está prevista para novembro deste ano, após processo de seleção e qualificação, previsto para agosto. Em maio, foram abertos os processos seletivos para escolha das equipes de saúde que serão alocados em Teresina, inicialmente nas funções de apoiador, enfermeiro de gestão e gestor de saneamento.

 
Fachada do Ministério da Saúde na Esplanada dos Ministérios
Marcello Casal Jr/Agência Brasil


Cadastro das famílias teve início em junho


Agora em julho, representantes do Ministério da Saúde e do movimento indígena piauiense vão percorrer territórios no sudoeste e norte do Piauí para cadastro das famílias que serão atendidas pela Política Nacional de Atenção à Saúde Indígena. As ações para implantação vêm sendo realizadas na unidade estadual da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Essas iniciativas são fruto de um processo iniciado no ano passado, com realização de um seminário de implantação da saúde indígena no estado. Em março de 2024, o processo teve continuidade com a Caravana Saúde Indígena, apoiada pela Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), DSEI do Ceará, Superintendência de Igualdade Racial e Secretaria de Saúde do Piauí, que percorreu o estado para conhecer os territórios, dialogar com a gestão e com as lideranças indígenas.

Para garantir atendimentos de saúde específicos e diferenciados aos indígenas Warao e Mendonça, que vivem em contexto urbano, foi articulado um grupo técnico na Prefeitura que planeja a criação de um plano de saúde específico com treinamento das equipes, elaboração de materiais informativos sobre saúde na língua nativa warao e contratação de agentes mobilizadores indígenas para atuarem como articuladores com a rede municipal de saúde.

Fonte: Portal A10+ com informações do Ministério da Saúde


Dê sua opinião:

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Em destaque

Enquete

APÓS DESISTÊNCIA DE JOE BIDEN, VOCÊ ACREDITA QUE KAMALA TEM CHANCES DE DERROTAR TRUMP NOS EUA

ver resultado