EM TERESINA

Sintetro estima mais de 100 assaltos somente este ano em ônibus; categoria pede reforço da PM

Recentemente, um bandido deu um tiro acidental na janela de um transporte coletivo


Um homem armado, se passando por passageiro, realizou um assalto em um ônibus na noite de segunda-feira (26). Durante a ação, ele disparou um tiro acidental nas janelas do veículo. A situação tem causado preocupação entre os usuários do transporte público e os cobradores e motoristas. Ao A10+ o Sintetro estimou que só em 2022 foram realizados mais de 100 assaltos nos coletivos da capital.

  

Sintetro estima mais de 100 assaltos somente este ano em ônibus; categoria pede reforço da PM
Reprodução

  

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários (Sintetro), Antônio Cardoso, relatou ao A10+ que no caso de segunda-feira, o homem entrou no ônibus na parada no sentido ao shopping e na abordagem levou três celulares dos passageiros.

"O bandido entrou na parada em frente o CEV sentido shopping aí lá em cima da ponte da Frei Serafim ele anunciou o assalto, levou três celulares, tinha pouca gente dentro do ônibus. Depois ele deu um tiro acidental na janela, sorte que não pegou em ninguém", contou.

Antônio Cardoso também destacou que a situação se repetiu outras vezes, mas que os casos têm aumentado e que o clima para os trabalhadores nos coletivos é de "insegurança".

"Esses assaltos acontecem constantemente, só que antes era só ameaça, ameaça com faca, com revólver, com pistola… ontem foi um dia de terror, mas isso é quase que rotineiro é uma coisa que fica complicada dessa forma de trabalhar, com relação a tantos assaltos aqui em Teresina e nada está sendo feito", desabafou.

  

Ônibus em Teresina
Jade Araújo / A10+

  

Nas estimativas do sindicato os números passam de 100 assaltos, mas há muita subnotificação, pois a população não registra boletim por não ver resultados, nem ter os bens sendo recuperados.

"Somam mais de 100, só que normalmente quando ele entram roubam 10, 7, 12 pessoas ou mais e cada pessoa é um assalto, as vezes levam tudo que a pessoa tem. Nós temos muito mais que 100 assaltos de janeiro até agora, muito mais mesmo… só que assim, normalmente só é registrado o cobrador e o motorista que vão pra delegacia, porque o pessoal nem vai mais, porque não tem resultado. Por isso, o número é alarmante de assaltos", disse.

Francisco Cardoso também afirmou ao A10+ que o sindicato se mobilizou para tentar falar com a Polícia Militar para discutirem medidas e diminuir as ocorrências, aumentando o policiamento dos locais que mais ocorrem os assaltos, no entanto ele citou que a categoria não foi recebida.

"Inclusive a gente já tinha ido lá no quartel geral da PM falar com o  comandante geral para ver uma forma de trabalhar junto nessa situação, pra que ele pudesse ver tudo isso, mas infelizmente não fomos recebidos, deram uma data pra gente que seríamos recebidos e até hoje nada e tá só piorando a situação, tanto da população, quanto do trabalhador do transporte", finalizou.

Outro lado

O A10+ tentou contato com o comando da Polícia Militar, mas até o fechamento desta matéria não obteve retorno. O espaço segue aberto para esclarecimentos.

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião: