Homem que estava foragido por assassinar vizinho a facadas é preso pela polícia no Piauí - Polícia
CRIME

Homem que estava foragido por assassinar vizinho a facadas é preso pela polícia no Piauí

Após a prisão, condenado relatou à polícia que na época do crime utilizava drogas


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

A Polícia Civil do Piauí prendeu na noite desta quarta-feira (05) um homem identificado como Luis Paulo, em Teresina. Segundo a polícia, o homem foi condenado a 15 anos de prisão pelo crime de homicídio. Em julho de 2011, na Vila da Paz, em Teresina, Luis Paulo matou a facadas um outro homem, que era seu vizinho, alegando que o mesmo teria pegado nas partes íntimas de sua mãe. Após a prisão, Luis Paulo relatou a polícia que anteriormente utilizava drogas.  

Homem é preso após assassinar a facadas vizinho
divulgação

   

"O Laércio Wilton ia passando nessa rua e por conta de uma desavença com o Luis Paulo, conforme a narrativa da denúncia, a vítima, o Laercio, teria tocado nas partes íntimas da mãe do Luis Paulo e também a questão do ciúmes por conta da irmã da vitima. Foram várias facadas, o Luis Paulo fugiu, inclusive levando a arma do crime. Atualmente ele trabalha como garçom no Morada Nova. Após a prisão ele nos relatou que quando jovem fazia uso de drogas, assim como o rapaz que foi morto. Fiz uma pesquisa da vida pregressa e ele não tem nenhum outro procedimento", afirma o delegado Tales Gomes. 

Os relatos feitos a época também informam que o condenado tinha ciúmes da irmã com o vizinho. Em 2022, Luis Paulo foi sentenciado e estava foragido. Ele estava trabalhando em um restaurante na zona Sul de Teresina onde foi preso.

Ele foi encaminhado à Central de Flagrantes de Teresina onde passou pelos procedimentos cabíveis ao caso. Agora, João Paulo fica a disposição da justiça.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Em destaque

Enquete

Qual sua opinião sobre o projeto aprovado pela Câmara que equipara aborto a homicídio

ver resultado