POLÍCIA

Investigado por furto em joalheria de shopping é preso pela Polícia Civil do Piauí em Timon

Robert chegou a ser preso após a tentativa de furto em setembro e foi capturado novamente no Maranhão


A Polícia Civil do Piauí (PC-PI) deu cumprimento a um mandado de prisão nesta segunda-feira (21), em Timon (MA) e capturou Robert Eduardo Oliveira de Souza, que é natural de Brasília e suspeito de tentar invadir uma joalheria de luxo localizada no Teresina Shopping.

De acordo com a Polícia Civil, a prisão aconteceu durante a manhã, quando Robert Eduardo estava em um veículo tentando retornar para Brasília. A PC-PI informou ainda que seu mandado é decorrente de investigações do 5º DP de Teresina, que apura furto na joalheira do shopping.

  

Robert Eduardo
Divulgação
   

Segundo a polícia, Robert estava acompanhado de mais quatro pessoas que responderam por crimes de roubo e furto no estado do Tocantins e Distrito Federal. A polícia acredita ainda que as pessoas abordadas estavam na cidade de Timon com o intuito de cometerem novos furtos.

Foram apreendidos dois aparelhos que copiam a frequência/segredo dos portões de lojas. Robert será encaminhado ao sistema prisional e os demais foram liberados.

Em setembro deste ano Robert foi preso junto de outros integrantes de uma quadrilha interestadual especializada em furto de eletrônicos; eles foram capturados pela Polícia Militar na divisa entre o Piauí e a Bahia. O A10+ apurou em 1ª mão que eles são suspeitos de tentar invadir uma joalheria de luxo que fica localizada no Teresina Shopping.

  

Foram apreendidos dois aparelhos que copiam a frequência/segredo dos portões Divulgação
   

Eles tentaram o roubo, mas segundo a PM, não tiveram êxito. Através do trabalho de inteligência, a polícia conseguiu identificar e prender em Corrente os elementos que portavam equipamentos usados para roubo.

Matéria relacionada

Grupo suspeito de tentar invadir joalheria de luxo em shopping de Teresina é preso

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião: