DADOS

No Piauí, casos de covid-19 aumentam em 37%; uma morte é contabilizada

Os dados, divulgados nesta terça (22), são do Boletim Epidemiológico da 46ª Semana


A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informou nesta terça-feira (22) que o Piauí registrou um aumento de 37% no número de casos positivos da covid-19. Os dados são do Boletim Epidemiológico da 46ª Semana, referente ao período de 13 a 19 de novembro.

Segundo a Sesapi, houve também elevação do Índice de Transmissibilidade da doença, em comparação aos últimos sete dias. Cresceu o número de casos, porém o número de óbitos pela doença continua reduzido. No último dia 5 de novembro, o estado registrou uma morte em decorrência da covid.

  

No Piauí, casos de covid-19 aumentam em 37%; uma morte é contabilizada
Sesapi

  

O Boletim Epidemiológico da 46ª Semana mostrou ainda que a taxa de transmissibilidade aumentou de 0,66 para 0,94. Os números de internados em leitos clínicos por Covid-19 passaram de 20 para 40, nos últimos sete dias. E as UTI’s apresentaram um aumento de 13 leitos ocupados para 16. A ocupação dos leitos de estabilização também teve um leve aumento, passando de 0 para 02 internados.

Segundo o secretário de estado da saúde, Neris Júnior o aumento no número de casos da Covid é um reflexo direto das 936 mil pessoas  que não retornaram ao posto para tomar a primeira dose de reforço da vacina contra a Covid-19.

“As vacinas são essenciais para zerar totalmente as mortes pela doença e casos mais graves. Pedimos mais uma vez que a população complete seu esquema de vacinação para ficar completamente protegida. A nova subvariante da Omicron está deixando as autoridades de saúde em alerta”, disse.

Nos postos estão disponíveis para as doses de reforço as vacinas da Pfizer, AstraZeneca ou Jansen para pessoas com 18 anos ou mais. Para os adolescentes entre 12 e 17 anos, é recomendado preferencialmente a vacina Pfizer, se não estiver disponível a Coronavac pode ser utilizada.

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião: