BRASIL

Anestesista é preso em flagrante por estuprar grávida durante o parto no RJ

Funcionários do Hospital da Mulher filmaram o abuso sexual e denunciaram o médico


Um médico anestesista foi preso em flagrante pela Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, na madrugada desta segunda-feira (11), por estupro. Segundo as investigações, Giovanni Quintella Bezerra abusou de uma paciente grávida durante o parto no Hospital da Mulher, em Vilar dos Teles, na mesma região. 

  

Anestesista é preso em flagrante por estuprar grávida durante o parto no RJ
Reprodução

  

A investigação começou após funcionários da unidade de saúde filmarem o anestesista colocando o pênis na boca da paciente enquanto ela estava dopada e passava por uma cesariana.

A gravação foi feita devido à desconfiança da equipe médica de que o abuso estava sendo cometido pelo anestesista. Segundo os profissionais, o anestesista já havia apresentado um comportamento suspeito em outras ocasiões.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde repudiou a conduta do médico.

"Informamos que será aberta uma sindicância interna para tomar as medidas administrativas, além de notificação ao Cremerj. A equipe do Hospital da Mulher está prestando todo apoio à vítima e à sua família. Esse comportamento, além de merecer nosso repúdio, constitui-se em crime, que deve ser punido de acordo com a legislação em vigor", afirmaram.

A polícia investiga outras possíveis vítimas do anestesista.

Cremerj abre processo para expulsão

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) abriu nesta segunda-feira (11) um processo para expulsar o anestesista. Clovis Bersot Munhoz, presidente do Cremerj, disse que “as cenas são absurdas”.

A Fundação Saúde do Estado do Rio de Janeiro e a Secretaria de Estado de Saúde, a que o Hospital da Mulher de Vilar dos Teles, em São João de Meriti, está subordinado, repudiaram em nota a conduta do médico anestesista.

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal R7


Dê sua opinião: