Agronegócio e energias renováveis fazem disparar PIB de municípios do Piauí - Cidades
ENERGIA RENOVÁVEL

Agronegócio e energias renováveis fazem disparar PIB de municípios do Piauí

Atividades econômicas também impactam positivamente na geração de empregos dessas regiões


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Nos últimos 20 anos, a principal atividade de econômica de vários municípios do Piauí migrou para o agronegócio ou indústria, trazendo desenvolvimento mais rápido a regiões que antes tinham baixos índices de desenvolvimento. Graças ao crescimento da produção de soja e de milho, e da chegada de parques de energias renováveis, a realidade dessas cidades agora é outra. 

Estudo da Secretaria do Planejamento (Seplan), com base em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que, além da mudança de atividade, o PIB desses municípios cresceu muito acima da média dos demais, principalmente nos últimos cinco anos. Como consequência, essas cidades foram campeãs na geração de empregos. 

  

Parque Eólico Lagoa dos Ventos
Reprodução
   

O município de Queimada Nova, por exemplo, localizado no sertão do Piauí, a 518 km de Teresina, teve um desempenho impressionante: entre 2020 e 2021, o PIB mais que dobrou, passando de R$ 119 milhões para R$ 253 milhões – alta de 111%. Isso graças à instalação do Parque Lagoa dos Ventos, maior complexo eólico da América do Sul. 

Além de Queimada Nova, o crescimento do PIB dos municípios de Dom Inocêncio (71,1%), Simões (52,5%), Lagoa do Barro (52,1%) e Ilha Grande (49,6%) está relacionado, principalmente, ao avanço dos empreendimentos de energias renováveis (eólica e solar).


O levantamento do IBGE mostra que, dos 10 municípios piauienses que mais registraram crescimento no PIB, entre 2020 e 2021, o carro-chefe de suas economias é energia renovável ou o agronegócio. 

Na geração de empregos, os municípios ligados ao agronegócio estão entre os que mais criam oportunidades de trabalho. De janeiro a novembro de 2023, Ribeiro Gonçalves, cuja economia e voltada para a produção de soja e milho, foi o quarto que mais gerou empregos, com um saldo positivo de 1.252 vagas. Ele ficou à frente de cidades bem maiores, como Floriano, Picos, União e Altos.

Assim como Ribeiro Gonçalves, os municípios localizados no cerrado piauiense, bioma onde está concentrada a produção agrícola de soja e milho, foram os maiores gerados de empregos entre 2020 e 2021. Eles englobam principalmente dois territórios de desenvolvimento: Tabuleiro do Alto Parnaíba e Chapa das Mangabeiras.

Assim como Ribeiro Gonçalves, os municípios localizados no cerrado piauiense, bioma onde está concentrada a produção agrícola de soja e milho, foram os maiores gerados de empregos entre 2020 e 2021. Eles englobam principalmente dois territórios de desenvolvimento: Tabuleiro do Alto Parnaíba e Chapa das Mangabeiras.

Dos 12 territórios do Piauí, de janeiro a novembro de 2023, o Tabuleiro do Alto Parnaíba gerou um saldo positivo de 3.182 vagas, e o Chapadas das Mangabeiras, 826 ocupações. Ficaram atrás apenas dos territórios Entre Rios, Cocais e Planície Litorânea. Porém, esses três últimos abarcam os municípios mais populosos do estado, como Teresina, Parnaíba e Piripiri. Já Tabuleiro e Chapada englobam municípios menos populosos. Proporcionalmente, portanto, os dois últimos territórios empregaram mais.  

Fonte: Governo do Piauí


Dê sua opinião:

Fique conectado