REUNIÃO

Defesa Civil monitora aumento das chuvas e orienta prefeitos sobre medidas no Piauí

Volume na Barragem de Boa Esperança cresceu com as chuvas


A secretária de Defesa Civil do Estado, Norma Sueli Nogueira, realizou neste sábado (14) uma reunião com a equipe técnica da pasta para discutir medidas preventivas por conta do aumento das chuvas e do volume das águas da Barragem de Boa Esperança, em Guadalupe (350 km ao sul de Teresina).  

Defesa Civil monitora aumento das chuvas e orienta prefeitos sobre medidas no Piauí
Reprodução
 
 
 

Estiveram reunidos com a secretária o geógrafo Werton Costa e o engenheiro Francisco Carvalho, da assessoria técnica da pasta. A Defesa Civil está monitorando o volume do reservatório e vai orientar os prefeitos dos municípios à margem do Rio Parnaíba e as comunidades ribeirinhas. O objetivo é prevenir eventuais problemas com o aumento das chuvas e da vazão da barragem, e a consequente elevação do nível do Parnaíba.

Nesta sexta-feira (13), a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) informou que elevará para 600 metros cúbicos por segundo a vazão da água da barragem. A vazão normal da barragem gira em torno de 350 metros cúbicos por segundo, mas geralmente aumenta nos meses de janeiro e fevereiro por conta do volume maior de chuvas na região sul do Estado e no Maranhão.

Com o aumento da vazão, o nível do Rio Parnaíba deve subir nas cidades de Floriano, Teresina e Luzilândia. A secretária de Defesa Civil afirma que o momento é de prevenção e planejamento. “Estamos estabelecendo ações preventivas no sentido de minimizar as possíveis ocorrências com aumento da vazão da Barragem de Boa Esperança e também das chuvas”, disse ela.

Entre as medidas preventivas, informou, estão visitas às áreas ribeirinhas, reuniões com prefeitos e representantes da Defesa Civil dos municípios. “Estamos fazendo também o alinhamento com o Corpo de Bombeiros, que atua tanto na parte preventiva, como em casos emergenciais”, explicou Norma Sueli.

O geógrafo Werton Costa explica que a elevação da vazão da barragem é baseada na previsão de aumento do volume de chuvas. Segundo ele, o momento é de acompanhamento e de orientação. “Nós já conhecemos as variações de vazão do Rio Parnaíba na barragem, conhecemos o regime pluviométrico e o comportamento das chuvas. Estabelecemos o contato com os municípios para dar as devidas orientações para uma ação preventiva e emergencial”, explicou.

Ele disse que a liberação das águas da barragem é um procedimento rotineiro no mês de janeiro, devido ao aumento das chuvas na região. O objetivo é conter a elevação de armazenamento do reservatório. Segundo informações da Chesf, nesta sexta-feira o volume da Barragem era de 64% abaixo do volume de espera estabelecido para o período, que é de 68%. Toda a operação segue as diretrizes do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Em destaque