Greve dos motoristas e cobradores de ônibus entra no 2º dia consecutivo em Teresina - Cidades
CRISE

Greve dos motoristas e cobradores de ônibus entra no 2º dia consecutivo em Teresina

Os trabalhadores não aceitaram a proposta apresentada pelo Setut


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus entrou no segundo consecutivo em Teresina. Sem acordo, categoria reivindica assinatura da nova convenção coletiva,  reajuste em salário e outros benefícios. O movimento grevista teve início nessa segunda-feira (13) na capital. Pela legislação, os trabalhadores devem manter uma frota de, pelo menos, 30% em circulação. 

O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte de Teresina (Sintetro) informou ao A10+ que os trabalhadores devem fazer novas manifestações na Praça da Bandeira, no Centro de Teresina. O objetivo é chamar atenção do poder público acerca do impasse envolvendo o transporte público.

  

Sem movimentação, usuários aguardam veículos alternativos em outros pontos da capital
TV Antena 10

   

Os trabalhadores não aceitaram a proposta apresentada pelo Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut), durante audiência realizada no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), quando foi proposto um reajuste de 6% nos salários, além de 20% no auxílio alimentação e 33% no auxílio saúde.

Segundo o Sintetro, alguns motoristas e cobradores não têm recursos para ir até o trabalho pela falta de pagamentos. Eles fizeram uma manifestação em frente à Prefeitura de Teresina na segunda (13) e aguardavam uma reunião com o prefeito Dr. Pessoa, que não aconteceu.

Em nota, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) informou que cadastrou 100 veículos para circularem durante o período da greve na capital. Até o momento não houve acordo entre a categoria e os empresários para encerrar o movimento grevista.

O que diz o Setut?

O presidente do Setut, Marcelino Lopes, lamentou a decisão da categoria em manter a greve geral em Teresina. Ele alegou que ofereceu um aumento acima da inflação para os trabalhadores, mas o Sintetro não aceitou. Ele citou que a Prefeitura de Teresina se comprometeu em repassar um subsídio de R$ 2 milhões, mas pediu prazo de até 90 dias para analisar o que pode aumentar acerca desse valor. 

  

Motoristas e cobradores de ônibus iniciam greve em Teresina Reprodução

   

"A inflação hoje é 5,7%. Nós oferecemos 6% do salário, 30% no auxílio saúde e 25% no auxílio alimentação. É 5, 6x acima da inflação e mesmo assim, o sindicato achou que vale fazer a greve. Lamento profundamente, com todo esse tempo que tenho, todo ano negociando com os colaboradores, nunca vi algo parecido. Um aumento superior a inflação, hoje tem sete empresas que não pagaram salário porque não tem dinheiro. Essa greve é pra atingir quem? Só pode ser a população. É lastimável", disse Lopes em entrevista à TV Antena 10.

Veja abaixo a nota na íntegra da Strans:

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) informa que diante do indicativo de greve dos motoristas e cobradores anunciada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresa de Transportes Rodoviários (Sintetro), prevista para início nesta segunda-feira (13), e assim que recebeu o ofício por parte do sindicato dos trabalhadores, deu início a convocação e ao cadastro de veículos para circularem durante o período de greve no transporte público na Capital.

A Strans informa que já consta no sistema da Gerência de Licença e Concessão, setor responsável pelo cadastro e vistoria dos veículos, para operar durante a greve dos trabalhadores do transporte público, um total de 100 veículos cadastrados (de 254 veículos que constam no banco de dados do órgão) entre ônibus, micro-ônibus e vans que já  foram vistoriados e com prévia autorização do órgão para operar nas diversas linhas de ônibus determinadas a cada veículo cadastrado pela Strans, e assim atender aos usuários do transporte público na Capital, a partir desta segunda-feira (13).

Além dos veículos cadastrados para reforço, o sistema dispõe de 20 vans que operam no transporte alternativo e vão continuar atendendo a população neste período de greve dos trabalhadores do transporte público. Importante destacar que durante a greve dos trabalhadores do transporte público, os consórcios que operam o sistema do transporte público precisam disponibilizar a porcentagem mínima de 30% dos veículos da ordem de serviço determinada pela Strans, seguindo o que determina a legislação em caso de greve.

Por fim, destacamos que em caso de dúvidas sobre a documentação para realizar o cadastro dos veículos, o interessado pode entrar em contato com o setor responsável através do WhatsApp (86) 3122-7609.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Em destaque

Enquete

Qual sua opinião sobre o projeto aprovado pela Câmara que equipara aborto a homicídio

ver resultado