MUNDIAL

Segundo dia da Copa tem três jogos e estreia de um dos favoritos ao título

Inglaterra pega o Irã na primeira partida do dia no Mundial do Catar


Depois da festa na cerimônia de abertura e da derrota do anfitrião, Catar, por 2 a 0, a Copa do Mundo chega a seu segundo dia com a estreia de um dos favoritos ao título: a Inglaterra. Os inventores do futebol abrem a rodada tripla às 10h (de Brasília), contra o Irã. A tabela ainda aponta Senegal X Holanda, às 13h, e Estados Unidos X País de Gales, às 16h.

  

Copa do Mundo segue nesta segunda-feira (21) com três jogos
Twitter Fifa
   

Campeã mundial em 1966, a Inglaterra é favorita para avançar na liderança do Grupo B. A equipe chega com uma das melhores gerações para voltar a vencer uma Copa, o que não ocorre desde 1966.

Doze dos 26 convocados para esta edição da Copa do Mundo estiveram na última, em 2018, na Rússia, quando o english team ficou até a semifinal.

Três anos mais tarde, os ingleses chegaram ao vice-campeonato europeu, mas perderam a final para a Itália, nos pênaltis. Dezenove jogadores que estiveram nessa campanha estão também no Catar.

A grande estrela do time ainda é Harry Kane. Artilheiro na última edição do Mundial, o atacante do Tottenham continua em busca do seu primeiro título na carreira.

Adversário dos ingleses na estreia, o Irã chega à Copa do Mundo com questões políticas que chamam mais atenção do que a parte esportiva, por conta de manifestações de alguns jogadores importantes contra o governo.

O caso mais emblemático é o do atacante Sardar Azmoun, que teve a convocação posta em dúvida após ter criticado a polícia religiosa iraniana, que matou a jovem Mahsa Amini, de 22 anos, por ela não estar usando o seu véu corretamente.

No Grupo A, que já teve Catar X Equador neste domingo (20), a grande favorita a ganhar a liderança é a Holanda, que estreia contra o Senegal.

Depois de ficar de fora em 2018, a laranja mecânica tem como ponto forte a defesa, principalmente na figura de Frenkie de Jong.

Já o Senegal, que era apontado como a melhor seleção africana desta Copa, disputa o Mundial sem o seu principal jogador, após o corte de Sadio Mané por contusão.

Além da perda em si, o esquema tático deve ser remodelado, já que era desenhado para que Mané brilhasse. Agora, a responsabilidade cairá nos pés de Sarr, outro ponta habilidoso, e da forte defesa senegalesa.

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: R7


Dê sua opinião: