EXCLUSIVO

Irmã de Joycilene Nascimento fala pela 1ª vez sobre o caso: "Não sou de facção, não tive culpa"

Valcira estava com a vítima quando, segundo ela, ambas foram abordadas por supostos faccionados em Timon


*Flash de Ana Paula Barreira - TV Antena 10

A dona de casa Valcira Carvalho, 25 anos, falou com exclusividade com o Balanço Geral Piauí, da TV Antena 10, sobre o caso de sua irmã, Joycilene Nascimento, que foi encontrada morta no rio Parnaíba, na última terça-feira (06) em Teresina. Ela foi a última pessoa que esteve com a vítima antes dela ter sido levada por supostos faccionados para o temido 'Tribunal do Crime'.

  

Irmã de Joycilene Nascimento fala pela 1ª vez sobre o caso: "Não sou de facção, não tive culpa"
TV Antena 10

  

A irmã paterna da vítima quebrou o silêncio e relembrou os últimos momentos que teve com Joycilene. Valcira citou que estava bebendo na casa da mãe da vítima e de lá elas foram para um clube de reggae, em Timon, a convite de um rapaz.

"Começamos a beber na casa da mãe dela, quando foi a noite fomos para o Clube Zagalo e de lá para outro bar, quando saímos veio o acontecimento. Conhecemos esse menino, fomos para mesa dele e de lá ele foi nos deixar na Jamaica. Eu não lembro muito bem, estava alcoolizada, ele só foi deixar e voltou, depois ficou eu e ela na mesa", narrou.

Bastante emocionada, Valcira afirmou que estava saindo do bar quando ambas foram abordadas. Ela citou que conseguiu correr, mas a irmã não.

"Fiquei tão assustada que corri. Não lembro se estavam armados. Eu não tive culpa, não sou de facção, não conhecia eles, só queria me divertir. Já tínhamos esse costume, não se conhecemos há seis meses como estão falando, sempre convivi com ela [Joyci]", desabafou.

Ela relatou que esperava que a irmã fosse aparecer viva. Valcira explicou que não compareceu ao velório de Joycilene por medo de represália. "Fiquei com medo, queria muito, mas estão botando culpa mim, porque chamei ela, mas queria muito ter visto minha irmã", disse.

Mãe de Joycilene Nascimento pede justiça e desabafa: "Acabou minha vida"

Maria do socorro, mãe de Joycilene Nascimento, voltou a falar sobre o caso da filha que foi encontrada morta na última terça-feira (06) no rio Parnaíba, em Teresina. Emocionada,ela pediu justiça e contou como a família está lidando com a repercussão. A vítima foi enterrada na quarta-feira (07) sob forte comoção.

  

Mãe de Joycilene Nascimento pede justiça e desabafa: "Acabou minha vida"; DHPP assume caso
Reprodução

  

Em entrevista ao Balanço Geral Piauí, da TV Antena 10, Maria do Socorro relatou que recebeu os vídeos da filha sendo torturada, mas não teve coragem de ver, e bastante emocionada disse que a tragédia acabou com a família e a vida dela.

"Eu não tenho nem palavra pra dizer, não sei se eu consigo. Os vídeo eu não consegui ver, mas da maneira que eu recebi a minha filha e minha filha ser mãe de família e a família ficar destruída desse jeito, eu pensei tivessem jogado pelo menos minha filha por aí, descoberto que minha filha não era nada ruim e tinha me deixado não sei quem foi, mas só sei que acabaram com a vida da minha filha, acabou com a minha família, minha vida também", desabafou.

DHHP afirma existir divergência de informações e investiga assassinato

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) assumiu o caso da jovem Joycilene Nascimento Silva. Em entrevista à TV Antena 10, o coordenador do DHPP, delegado Francisco Baretta, afirmou que a vítima pode ter conhecido o criminoso em algum momento da vida e que a polícia já encontra divergência de informações.

  

Delegado Barêtta fala sobre o caso
Ana Paula Barreira / TV Antena 10
   

''Há uma divergência que nós encontramos em outra informação. Isso vai ser esclarecido durante a investigação. Nós estamos analisando todas as informações. O inquérito está sendo formatado. A gente não pode dizer se há ou não envolvimento em ato criminoso dela, da irmã ou de alguém muito próximo dela. O crime de homicídio tem estrutura típica de tempo, espaço, ação e resultado. Algum tempo da vida a vítima e o criminoso se encontraram e a policia agora vai delinear qual foi momento daquele encontro do passado'', explicou Barêtta.

Entenda o caso

Joycilene Nascimento Silva, 32 anos, mãe de cinco crianças, foi encontrada morta nesta terça-feira (06) no rio Parnaíba, em Teresina. A vítima, segundo a família, foi vista pela última vez em baile reggae em Timon, no Maranhão, no último domingo (04). Os familiares alegam que ela foi morta por engano.

  

Revolta e tristeza marcam velório de mulher encontrada morta no rio Parnaíba
Reprodução

  

Maria do Socorro, mãe da vítima, conversou com o A10+ e falou sobre a filha. Segundo ela, Joycilene não tinha passagens pela polícia. Ela desapareceu no domingo quando saiu de casa com a irmã paterna para ir para o Clube Zagalo, o local fica atrás de sua residência onde vítima costumava frequentar.  

Depois de passar um tempo no clube, a irmã e Joycilene foram para um baile de reggae na rua 100, em Timon, onde foi vista pela última vez. De acordo com testemunhas, a vítima foi abordada por algumas pessoas, que não foram identificadas, onde foi agredida, torturada e jogada no rio. 


Matérias relacionadas

Mãe de Joycilene Nascimento pede justiça e desabafa: "Acabou minha vida"; DHPP assume caso

Revolta e tristeza marcam velório de mulher encontrada morta no rio Parnaíba

Saiba quem era Joycilene Nascimento, mulher encontrada morta no rio Parnaíba

Corpo de mulher encontrado no rio Parnaíba é de Joycilene Nascimento, confirma família

Jovem que aparece sendo espancada em vídeo segue desaparecida; família faz buscas

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião: