Governo abre crédito suplementar de R$ 32,4 bilhões para despesas e repasses a estados e municípios - Política
CRÉDITO SUPLEMENTAR

Governo abre crédito suplementar de R$ 32,4 bilhões para despesas e repasses a estados e municípios

Portaria do Ministério do Planejamento e Orçamento prevê remanejamento por meio de anulação de dotações orçamentárias


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

O Ministério do Planejamento e Orçamento publicou no Diário Oficial da União desta segunda-feira (11) uma portaria abrindo crédito suplementar de R$ 32,4 bilhões para aplicação em diversas pastas do Executivo e repasses a entes federados. Para a liberação, o governo realizou um remanejamento de verba por meio de anulação de dotações orçamentárias, garantindo um rearranjo interno sem a necessidade de aprovação da mudança pelo Legislativo. 

O documento foi assinado pelo ministro substituto da pasta, Gustavo José de Guimarães, e deve garantir pagamentos de encargos financeiros da União, da dívida pública federal e transferências a estados, Distrito Federal e municípios e operações oficiais de crédito. 

  
Presidente Lula
Mario Agra/Câmara dos Deputados
 
 
 

A maior parte dos recursos foi disponibilizada ao Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, que recebeu R$ 22,9 bilhões. O valor será usado sobretudo para o pagamento das famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família.

Outros ministérios beneficiados com a abertura do crédito foram Educação (R$ 753,1 milhões), Cidades (R$ 436,9 milhões), Defesa (R$ 356 milhões), Previdência Social (R$ 257,6 milhões), Justiça e Segurança Pública (R$ 244,9 milhões) e Relações Exteriores (R$ 208,9 milhões).

Outros R$ 4,4 bilhões foram realocados para serviços da dívida interna do país e serão utilizados no pagamento de juros e amortizações da dívida pública. Para estados e municípios, foram remanejados R$ 1,8 milhão para arcar com auxílios pecuniários ao pessoal ativo militar de ex-territórios federais.

Em fevereiro, o Ministério do Planejamento e Orçamento fez um movimento semelhante ao realocar R$ 10,7 bi para concluir pagamento de precatórios de 2024.

Fonte: R7


Dê sua opinião:

Fique conectado