Eleições 2022
POLÍTICA

Com candidatura indeferida, Gessy Lima afirma que vai recorrer de decisão

Em live, empresária relata que perdeu uma batalha, mas que seguirá na luta de sua candidatura


A empresária Gessy Lima (PSC) afirmou na noite desta segunda-feira (12) que vai recorrer da decisão que barrou sua candidatura ao governo do Piauí nas eleições de 2022. Mais cedo, o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) indeferiu o pedido de registro de candidatura  de Gessy.

Em live, Gessy relatou que perdeu uma batalha, mas que seguirá na luta de sua candidatura ao governo do Estado. Mesmo com a candidatura indeferida, a empresária garantiu que não vai desistir da disputa estadual.

Com candidatura indeferida, Gessy Lima afirma que vai recorrer de decisão
Reprodução

   

“A minha candidatura continua de pé. Perdemos uma batalha, mas a guerra continua. Vocês têm observado desde o início do registro da minha candidatura, essa tentativa constante de me barrar, de impedir minha caminhada política. Não desisto, só se tirarem a minha candidatura e é o que estão tentando fazer”, declarou. 

Gessy pontuou que sua equipe jurídica entrará com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para reverter a situação e assim, caso seja aprovado, concorrer ao cargo de governadora. A empresária citou que não tem o apoio de nenhum vereador e prefeito, mas garantiu, por inúmeras vezes, que não desistirá.

“Sei que o piauiense está do meu lado. O Piauí quer mudança. Não tem um vereador ou prefeito do meu lado. Hoje nós perdemos uma batalha, eu permaneço na disputa ao governo. Enquanto tiver recurso, eu estarei de pé e resistindo bravamente”, declarou.

Entenda o caso 

Gessy Lima teve seu registro de candidatura ao governo do Piauí indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI). A sessão ocorreu na tarde desta segunda-feira (12), último dia de prazo para julgamento dos registros de candidatura. O relator da ação, juiz Charlles Max votou pelo indeferimento e foi seguido por todos os demais membros da Corte Eleitoral.

O indeferimento ocorreu em virtude de irregularidades no Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP) do PSC. A Justiça Eleitoral considerou a convenção da sigla nula por irregularidades na convocação. Ainda na sessão, foi indeferido o pedido de habilitação do PSC para concorrer às eleições de deputado federal neste pleito.

Gessy sofreu dois pedidos de impugnação, sendo um do primeiro-tesoureiro do diretório do PSC, João Lennon Oliveira, e outro do PMN. De acordo com denúncias, a candidata que é presidente estadual do PSC, não teria notificado os membros da sigla e apresentado à Justiça Eleitoral atas conflitantes acerca da convenção do partido.

Dois pedidos de impugnação se deram por membros do PSC e uma outra ação foi impetrada pelo Diretório Estadual do PMN, que no estado é comandado pela também candidata a governadora, Ravenna Castro.

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião: