TSE decide trancar inquérito sobre apreensão de mais de R$ 350 mil nas eleições de 2022 em Teresina - Justiça
DECISÃO

TSE decide trancar inquérito sobre apreensão de mais de R$ 350 mil nas eleições de 2022 em Teresina

TRE-PI já havia afastado crime eleitoral após ser comprovada a origem dos valores pelo proprietário, empresário da construção civil


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram que a Justiça Eleitoral no Piauí pode determinar o trancamento integral de inquérito policial que investigava suposta prática de corrupção eleitoral nas Eleições 2022, em Teresina.

Em setembro de 2022, uma equipe da Polícia Federal interceptou um carro na capital piauiense após denúncia anônima que dizia haver transporte de grande quantidade de dinheiro em espécie para ser usada nas eleições daquele ano. No momento da abordagem policial, foram apreendidos uma mochila e sacos plásticos com valores que somavam R$ 359.700,00.

  

Dinheiro foi apreendido na zona Leste de Teresina
Reprodução

   

No estado, o Tribunal Regional do Piauí (TRE-PI) afastou a prática de crime eleitoral por corrupção nas Eleições 2022 após ser comprovada a origem dos valores pelo proprietário, empresário da construção civil. A Corte Regional entendeu que falta competência à Justiça Eleitoral para apreciar e julgar suposto crime comum de lavagem de dinheiro quando não há crime eleitoral conexo. Diante disso, determinou o trancamento integral do inquérito policial, que não continha elementos eleitorais.

Relator do caso no TSE, o ministro Raul Araújo afirmou que a mera existência da quantia em espécie no carro não é indício suficiente para apontar a prática do crime eleitoral. “No caso, não se pode prosseguir com investigação apenas por presunção de irregularidade. Parece-me que não é tão incomum que sociedades empresariais ou pessoas jurídicas que atuam no ramo da construção civil movimentem quantias em dinheiro para fazer pagamentos de fornecedores e colaboradores”, afirmou.

O ministro Raul Araújo acrescentou que o fato de se ocultar dinheiro “também releva cuidados que se devem ter com o transporte de valores, mesmo diante de abordagens que aparentemente são policiais, mas que, por vezes, trazem condutas que são perigosas para quem é abordado”.

Com exceção da ministra Isabel Galloti, que abriu divergência, os demais ministros do TSE acompanharam o entendimento do relator, para restabelecer integralmente o acórdão regional.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Em destaque

Enquete

Qual sua opinião sobre o projeto aprovado pela Câmara que equipara aborto a homicídio

ver resultado