APÓS MORTE DE RAINHA

Saiba quem é Charles III, o novo rei da Inglaterra, que assume o trono aos 73 anos

Trajetória de novo monarca é marcada por polêmicas em relação ao casamento, interferências políticas e até má conduta financeira


Aos 73 anos, o até agora príncipe Charles de Gales chegou ao trono como o monarca britânico mais velho. Terminando um período recorde na história da monarquia, ele se tornou rei automaticamente após a morte da mãe, a rainha Elizabeth II. O novo rei britânico vai adotar o nome de Charles III, anunciou a primeira-ministra do Reino Unido, Liz Truss, nesta quinta-feira (8).

  

Saiba quem é Charles III, o novo rei da Inglaterra, que assume o trono aos 73 anos
Reuters
  

O rei Charles 3º tem sido uma figura controversa ao longo dos anos, desde a infidelidade quando esteve casado com a princesa Diana e supostas interferências políticas, até gafes e escândalos envolvendo ajudantes.

O filho mais velho da rainha Elizabeth 2ª nunca desfrutou da popularidade de sua mãe, aumentando os desafios que agora enfrentará como monarca.

Embora a situação tenha melhorado nos últimos tempos, ele foi criticado por tabloides britânicos durante anos por demonstrar indiferença.

Por outro lado, é improvável que o retrato dos problemas conjugais que enfrentou, mostrados na série de sucesso da Netflix "The Crown", tenha ajudado a imagem do novo soberano um quarto de século após o divórcio de Diana.

Ele também foi acusado de se intrometer na política e, em 2021, o assessor mais confiável de Charles 3º renunciou pela segunda vez em meio a controvérsias.


  

Trajetória de Charles 3º até se tornar o novo soberano britânico
AFP
  

"Acredito que todas essas coisas são prejudiciais, de 'The Crown' à realidade", considerou em 2021 a escritora da realeza Penny Junor, após a eclosão de um escândalo envolvendo a suposta entrega de honrarias em troca de dinheiro para a caridade pelo então príncipe do País de Gales.

Ser aceito como rei "vai ser difícil para ele, aconteça o que acontecer, mas todas estas revelações não ajudam", acrescentou.

"Três pessoas"

A imagem de Charles 3º sofreu um golpe devastador durante a amarga separação de Diana.

Em uma entrevista explosiva à BBC em 1995, a então princesa de Gales revelou que "havia três pessoas" no casamento, referindo-se ao relacionamento de seu marido com Camilla Parker Bowles, a atual rainha consorte. 

O casal real havia anunciado a separação em 1992, mas como resultado dessa polêmica entrevista acabaram se divorciando só em 1996.

  

Em 1981, o príncipe Charles se casou com Diana, que ficou conhecida como "princesa do povo"
AFP
  

Dando a própria versão dos eventos — e admitindo a infidelidade — Diana expôs as lutas que viveu dentro da família real, criticando a monarquia e questionando a capacidade do marido de ser rei.

Isso rendeu à "princesa do povo" grande simpatia do público, que se estendeu após sua morte em um acidente de carro em Paris em 1997.

Charles 3º foi por muito tempo criticado tanto pelo caso extraconjugal, quanto pela má gestão inicial da morte de Diana.

No entanto, aos poucos, ganhou o apoio da opinião pública e a aceitação de que encontrou a felicidade com Camilla, com quem se casou em 2005.

"Aranha negra"

O novo soberano também causou polêmica ao pressionar políticos em privado sobre várias questões públicas, da saúde ao meio ambiente.

Em uma série de cartas entre ele e vários ministros do governo, conhecidos como memorandos da "aranha negra" por sua caligrafia rabiscada, o herdeiro perguntava sobre uma ampla gama de assuntos.

  

Príncipe Charles levantou preocupações por supostamente ultrapassar os limites
Reuters
  

Tornadas públicas em 2015 após uma batalha legal de uma década travada pelo jornal The Guardian, incluíam, entre outros tópicos, o desgosto de Charles 3º pela arquitetura moderna.

A oposição dele ao design de vanguarda chamou a atenção do público pela primeira vez em 1984, quando ele descreveu os planos para modernizar a National Gallery em Londres como algo semelhante a adicionar um "monstruoso furúnculo no rosto de um amigo muito elegante e querido".

As cartas da "aranha negra" provocaram reações contra o então futuro rei e preocupações de que ele ultrapassava os limites.

No entanto, em uma entrevista de 2018 por ocasião de seu aniversário de 70 anos, Charles 3º insistiu que nunca interferiu diretamente na política e que entendia a diferença entre ser príncipe e monarca.     

Dinheiro por honrarias?

Mais recentemente, Charles 3º esteve envolvido em um suposto caso de compra de honrarias.

Uma série de reportagens apontou que os assessores do rei trabalharam para obter uma honra real e até mesmo a cidadania britânica a um empresário saudita que doou grandes somas para projetos de restauração de particular interesse para o novo soberano.

  

Charles 3º ainda se envolveu em supostas denúncias de má conduta financeira
AFP
  

Michael Fawcett, ex-camareiro de Charles 3º, que se tornou diretor da fundação de caridade do monarca, renunciou em 2021 após uma investigação interna sobre essas alegações.

Apesar disso, esta não foi a primeira denúncia contra Fawcett que, por associação, respingou no rei. Em 2003, ele já havia renunciado após ser acusado de descumprir as regras do palácio e aceitar gratificações.

Embora mais tarde ele tenha sido absolvido das denúncias de má conduta financeira por vender presentes reais indesejados, um relatório interno considerou vários membros da comitiva de Charles 3º culpados de "faltas graves".

Rei Charles 3º chega a Londres e é recebido por multidão

O rei Charles 3º chegou a Londres por volta das 13h40 no horário local (9h40, no horário de Brasília), onde fará nesta sexta-feira (9) o primeiro pronunciamento à nação como o novo monarca do Reino Unido. Na última quinta-feira (8), a mãe dele, a rainha Elizabeth 2ª, morreu, aos 96 anos, depois de permanecer sete décadas no poder.


Ao desembarcar no aeroporto de Northolt, que fica a cerca de 12 km do centro da capital inglesa, Charles foi diretamente para o Palácio de Buckingham. Ao chegar no local, ele foi recebido por uma multidão e cumprimentou centenas de pessoas que se aglomeravam no local.

O novo soberano deve fazer um discurso ao país às 18h (às 14h, em Brasília), de acordo com o presidente da Câmara dos Comuns.

"Gostaria de informar à Câmara que nos reuniremos hoje para homenagens [à rainha Elizabeth]", disse Lindsay Hoyle a parlamentares. "Aproximadamente às 18h, a Câmara será suspensa enquanto Sua Majestade, o rei, faz sua transmissão à nação."

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: R7


Dê sua opinião: