PRESIDENTE DA UCRÂNIA

Zelensky nega ajuda dos EUA: “Preciso de munição, e não de carona”

Presidente ucraniano publicou diversos vídeos em suas redes sociais neste sábado


Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia, afirmou que a Ucrânia não vai baixar as armas. "Não vamos baixar as armas, vamos defender nosso Estado", disse Zelensky em um vídeo divulgado neste sábado (26).

Na mesma publicação, o presidente pediu que ninguém acredite em informações falsas sobre a situação do país. “Nossa arma é a verdade, e nossa verdade é que esta é nossa terra, nosso país, nossos filhos, e vamos defender tudo isso", disse.

 
Zelensky nega ajuda dos EUA:
Reprodução Twitter
 
 
 

Zelensky tem usado suas redes sociais para publicar vídeos com recados ao povo ucraniano. As filmagens costumam ser feitas em frente ao seu escritório em Kiev. O presidente segue na capital do país e não pretende deixá-la por enquanto.

De acordo com o relato de um dirigente de uma agência de inteligência dos EUA à agência Associated Press, os americanos ofereceram ajuda para que Zelensky deixasse Kiev, mas ele recusou a oferta. "A luta é aqui, eu preciso de munição, e não de uma carona", teria dito Zelensky.

Ajuda da França

Em uma outra publicação feita ao longo da manhã deste sábado (26), Zelensky disse que conversou com o presidente francês Emmanuel Macron. "Armas e equipamentos de nossos parceiros estão a caminho da Ucrânia. A coalizão anti-guerra está funcionando."

Situação de Kiev

Em outra post, Zelensky disse que a capital Kiev ainda está sob controle da Ucrânia, mesmo com a invasão russa que começou na quinta-feira (24). "Nós resistimos e estamos repelindo os ataques inimigos com sucesso. A luta continua."

"Já temos apoio de quase todos os países da União Europeia para desconectar a Rússia do Swift (rede de pagamentos). Espero que a Alemanha e a Hungria tenham coragem de apoiar essa decisão. Temos coragem de defender nossa terra natal, de defender a Europa", completou.

Segundo Zelensky, o país vai armar aqueles que quiserem ajudar os militares ucranianos.

A Guerra na Ucrânia entrou neste sábado em seu terceiro dia. Explosões foram ouvidas em Kiev horas após Volodymyr Zelensky alertar sobre a possível tomada da capital. Há relatos de um ataque a uma estação de eletricidade na tentativa de deixar Kiev no escuro e de confrontos nos arredores da cidade. O ataque é o maior de um país contra outro desde a Segunda Guerra Mundial, há 80 anos.

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: G1


Dê sua opinião: