Falso profeta preso novamente no Piauí mantinha 80 pessoas em terreno; entenda como ele agia - Polícia
CRIME

Falso profeta preso novamente no Piauí mantinha 80 pessoas em terreno; entenda como ele agia

Homem anunciou fim do mundo em 2012; prisão ocorreu em Cocal de Telha


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Um falso profeta que mantinha pessoas em cárcere privado e em situação análoga à escravidão foi preso novamente pela Polícia Civil de Piripiri na quinta-feira (01), em Cocal de Telha, interior do Piauí. Em 2012, Luís Pereira dos Santos virou notícia nacional após anunciar o fim do mundo naquele ano.

Segundo a polícia, o homem se denominava um enviado de Deus e mantinha 80 pessoas, que se dividiam em 16 residências, em um terreno localizado em uma região conhecida como Terra Prometida.

  

Falso profeta preso novamente no Piauí mantinha 80 pessoas em terreno; entenda como ele agia Reprodução

   

Conforme informações repassadas pelo chefe de Policiamento, o coronel Etevaldo do 15º BPM de Campo Maior, as investigações contra o "Falso Profeta" iniciaram em 2021 e o mandado de prisão foi cumprido na quinta (01).

"Em junho de 2021 foi aberta uma investigação por parte do Ministério Público para apurar as denúncias. Ele residia nessa localidade há algum tempo, fica localizado numa região conhecida como Terra Prometida, onde ele se autodenominava líder espiritual. No local, ele mantinha várias pessoas sob seu domínio, com cerca de 80 seguidores que viviam em 16 casas construídas por eles e que seguiam a orientação dele. Havia denúncias de cárcere privado, de pessoas vivendo em situação análoga à escravidão", contou.

Além da prisão, a polícia também apreendeu notebooks, celulares, uma quantia em dinheiro e documentos que serão analisados.

  

A prisão ocorreu na quinta-feira (01) em Cocal, no interior do Piauí
Reprodução

   

Em 2012, o falso profeta morava em Teresina. Na época, ele contou que havia recebido a mensagem de um anjo sobre o que iria acontecer. As pessoas temeram, largaram empregos e venderam seus bens para dar dinheiro ao estelionatário.

Como o fim do mundo não ocorreu, Luís Pereira foi tirado de sua casa pela tropa de choque da Polícia Militar do Piauí, que impediu seu linchamento. Ele chegou a ser preso sob acusação de estelionato e de que teria envenenado e causado a morte de duas pessoas. Após o caso, ele se mudou para Campo Maior e conseguiu chamar a atenção de outros seguidores.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Em destaque

Enquete

Eleições nos Estados Unidos: você acha que Joe Biden tem condições de disputar a reeleição

ver resultado