Homem é preso após gastar dinheiro com bebida e fingir o próprio sequestro no Piauí - Polícia
AÇÃO POLICIAL

Homem é preso após gastar dinheiro com bebida e fingir o próprio sequestro no Piauí

Inicialmente, Paulo Ricardo havia sido dado como desaparecido por familiares após não retornar para sua residência


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

A Delegacia de Investigação de Desaparecimento de Pessoas (DESAP) cumpriu mandando de prisão contra Paulo Ricardo Mende Lima, por roubo ocorrido em 2016, no Conjunto Vila Maria, na zona Leste de Teresina. Ele forjou um sequestro para a própria família, após usar salário para comprar bebida alcoólica.

Inicialmente, Paulo Ricardo havia sido dado como desaparecido por familiares após não retornar para sua residência na noite de 06 de fevereiro desse ano. 

Homem com mandado em aberto é preso gastar dinheiro com bebida e fingir próprio sequestro no Piauí
Divulgação

   

“Naquela ocasião ele teria saído, em sua motocicleta, de seu local de trabalho em um estabelecimento no Shopping Teresina por volta das 23h e desaparecido. Familiares registraram a ocorrência na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa – DHPP na noite de ontem, inclusive informando aos agentes que Paulo teria recebido pagamento no dia anterior e que estariam agora recebendo mensagens de texto via aplicativo WhatsApp enviadas do telefone do próprio desaparecido informando que ele teria sido pego por indivíduos pertencentes a uma facção criminosa e que pretendiam matá-lo”, diz a Polícia Civil.

Durante as diligências iniciais de investigação do caso, constatou-se que homem possuía contra si um mandado de prisão por condenação definitiva pendente de cumprimento, por prática de delito Roubo Majorado.

Posteriormente, o próprio indivíduo acabou entrando em contato com familiares já início da manhã de ontem (08)  informando que havia sido “liberado” pelos criminosos no caminho para o município de Altos, estando com sua motocicleta e seu aparelho celular.

Após localizado e se dirigir à sede do DHPP, foi dado cumprimento ao mandado e, em sua oitiva, ele declarou, que ao sair do trabalho decidiu ir beber, que havia na verdade gastado seu pagamento com bebidas, não se recordando que tipo de mensagens mandou para a companheira e que não havia ocorrido sequestro nenhum, mas apenas “efeito da bebida”.

O preso foi então encaminhado à Central de Flagrantes de Teresina para os procedimentos cabíveis.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado