Caso João Rodrigues: polícia indicia 6 envolvidos no caso; crime foi motivado por vingança - Polícia
INQUÉRITO

Caso João Rodrigues: polícia indicia 6 envolvidos no caso; crime foi motivado por vingança

Marido de secretária de São Raimundo Nonato foi morto a tiros na frente das filhas


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

A Polícia Civil do Piauí, através da Delegacia de São Raimundo Nonato, concluiu o inquérito policial sobre o assassinato de João Rodrigues Neto Dias, marido da secretária do Trabalho e Assistência Social do município. Seis pessoas foram indiciadas por participarem da execução e assassinato que ocorreu no último dia 13.

Em coletiva, o delegado Marcelo Barreto, que presidiu o caso, afirmou que todos os envolvidos no crime foram identificados e indiciados por homicídio qualificado. De acordo com a polícia, o assassinato foi motivado por vingança, após a morte do pai de alguns dos mandantes do crime em um acidente de trânsito em que o marido da secretária João Rodrigues se envolveu. Os suspeitos apontaram ele como como um suposto culpado.

  

Delegado Marcelo Barreto durante coletiva de imprensa
Laura Parente / A10+

  

"Sem dúvida foi vingança. No primeiro momento eles negaram, mas o depoimento chegou a ser colhido... no interrogatório complementar todos confessaram... A motivação por vingança ocorreu depois que o pai do Paulo ter falecido em um acidente de trânsito em que eles atribuíram a culpa ao falecido no homicídio. Desde então podemos dizer que a par dos mecanismos de percepção legais ocorreu essa maturação na cabeça desses indivíduos sobre isso", explicou.

Ainda de acordo com o delegado, os indiciados foram Paulo Ferreira e Patrícia Ferreira, os mandantes do crime, Juniel e Juliermes, que efetuaram os disparos, além do marido de Patricia e um mototaxista, que participou ativamente da execução do crime e o executor ao local em que a vítima estava.

O delegado reforçou que o crime foi premeditado e que o autor dos disparos, Juniel Assis Paes Landim afirmou à polícia que recebeu a proposta de 5 mil para matar João Rodrigues na frente das filhas.

Entenda o caso 

João Rodrigues foi morto em frente às duas filhas quando as buscava em uma escola no centro de São Raimundo Nonato, na última terça-feira (13). As imagens mostram um homem que caminha em direção ao marido da secretária - que estava em uma motocicleta - e efetua vários disparos de arma de fogo.

Após ser atingido pelos disparos, a vítima caiu da moto e o criminoso fugiu correndo. As duas crianças presenciaram toda a ação. A suspeita, inicialmente da polícia, era que o crime foi motivado por vingança, isso porque Juniel foi contratado para matar a vítima que se envolveu em um acidente de trânsito que resultou na morte de um homem.

  

Polícia conclui inquérito e seis envolvidos na morte de João Rodrigues são indiciados
Reprodução

   

Na quarta (14), a delegada Cynthia Verena, titular de São Raimundo Nonato, havia declarado que os filhos da vítima, atropelada por João Rodrigues, estariam, supostamente, ameaçando o marido da secretária.

No sábado (17), a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão contra familiares suspeitos de mandar matar João Rodrigues Dias Neto. As investigações apontaram duas pessoas como autores intelectuais do homicídio. 

Os mandados de busca e apreensão, conforme apurado pela reportagem, foram cumpridos contra Luiz Ferreira dos Santos Neto, Pedro Filho Ferreira, Precilla Ferreira Pereira Fernandes e também Paulo Ferreira, todos eles são irmãos e estariam envolvidos no ordenamento do assassinato, motivado por vingança, de acordo com as investigações.

O primeiro suspeito preso, Juniel Assis Paes Landim afirmou à polícia, durante depoimento, que recebeu a proposta de R$ 5 mil, mas ganhou R$ 1 mil, para matar João Rodrigues. Ele foi localizado na última quinta-feira (15) em São Lourenço do Piauí.

Matérias relacionadas:

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Em destaque

Enquete

Qual sua opinião sobre o projeto aprovado pela Câmara que equipara aborto a homicídio

ver resultado