RESGATE

Trabalhadores são resgatados em situação análoga à escravidão em Currais, Piauí

O local não fornecia equipamentos necessários para o trabalho, nem condições básicas


Um grupo com 16 trabalhadores foi resgatado em situação análoga à escravidão em uma fazenda localizada no município de Currais, interior do Piauí. Entre os trabalhadores, um adolescente de 17 anos, que trabalhava em situação degradante na catação de raízes. 

O resgate foi feito pelo Grupo Especial de Fiscalização Rural, composto por integrantes do Ministério Público e do Trabalho. No local, foram encontradas diversas irregularidades, os alojamentos dos trabalhadores eram barracas de lonas e eles dormiam em redes debaixo das barracas e não havia banheiros para os trabalhadores. 

  

Trabalhadores são resgatados em situação análoga à escravidão em Currais, Piauí MPT-PI
   

"Na Fazenda, não havia instalações sanitárias à disposição, de modo que as necessidades fisiológicas eram feitas no mato. A água para consumo era armazenada em tanque pipa. Segundo os trabalhadores, a água era quente e possuía gosto de ferrugem”, disse o procurador do trabalho Vinicius Lantyer. 

O procurador ainda relatou que as refeições também eram feitas e servidas ao relento e não havia mesas, nem cadeiras. Equipamentos para a execução do trabalho não eram disponibilizados para eles, além de não constar registro na carteira de trabalho. 

"O mesmo chão que acolhia o fogareiro feito com pedras servia de assento para o desjejum de todos eles… As poucas ferramentas foram levadas até lá pelos próprios trabalhadores", completou.

  

O local não fornecia equipamentos necessários para o trabalho, nem condições básicas MPT-PI
   

O procurador do trabalho Vinicius Lantyer destacou que a situação encontrada configura um caso clássico de trabalho escravo contemporâneo, caracterizado pela negativa de direitos básicos e a violação à dignidade humana. Após a verificação do local, a inspeção do trabalho providenciou a emissão das guias de seguro-desemprego, as verbas rescisórias que foram quitadas no dia e local determinado. 

Após o resgate, os trabalhadores foram encaminhados para o CREAS para um atendimento psicossocial, cadastro e reinserção no mercado de trabalho. 

Ao representante da fazenda foi entregue uma notificação, expedida pelo Ministério Público do Trabalho, com a recomendação para o empregador corrigir as práticas ilícitas. Além dos autos da infração, um inquérito civil será instaurado para promover a responsabilização no âmbito criminal do empregador.

  
O procurador ainda relatou que as refeições também eram feitas e servidas ao relento MPT-PI
 
 
 

Em 2022, o Piauí acumula 156 trabalhadores resgatados em situação análoga a de escravidão. O número é mais que o dobro de resgates feitos em 2020 e 2021.

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião: