No Piauí, Lula chora ao lançar plano de combate à fome: “a nossa tarefa é reconstruir esse país” - Política
BRASIL SEM FOME

No Piauí, Lula chora ao lançar plano de combate à fome: “a nossa tarefa é reconstruir esse país”

Durante discurso, presidente afirma que a meta é tirar o Brasil do mapa da fome até 2030


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

(Atualizado às 19h14)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou na noite desta quinta-feira (31), em agenda em Teresina, o decreto que institui o Plano Brasil Sem Fome. A meta é tirar o Brasil do mapa da fome até 2030, com ações organizadas nos eixos do acesso à renda, ao trabalho e à cidadania; alimentação saudável e adequada; e mobilização no combate à fome. Durante discurso, o petista chorou e afirmou que sua tarefa é reconstruir o país novamente. 

  

No Piauí, Lula chora ao lançar plano de combate à fome: “a nossa tarefa é reconstruir esse país”
Reprodução

   

A assinatura foi realizada ao lado do ministro Márcio Macêdo, da Secretaria Geral, e Wellington Dias, do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), que assinou a resolução que regulamenta o plano, inspirado no Fome Zero e Brasil Sem Miséria. O governador do Piauí, Rafael Fonteles também assinou o termo de adesão do estado ao Brasil Sem Fome.

O plano é formado por 80 ações e programas, que contemplam mais de 100 metas e propostas de 24 ministérios. A iniciativa terá o monitoramento atual da fome e uma articulação do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan).

"Por que tem 33 milhões de pessoas passando fome? O problema não é falta de plantar, o problema é que o povo não tem dinheiro para ter acesso a comida. É por isso que a gente não vai acabar com a fome de verdade se o povo trabalhador não tiver acesso a empregos… é esse país que devemos construir. O Bolsa Família não é uma medida definitiva, é provisória enquanto a gente arruma a casa", disse o presidente Lula em discurso na capital piauiense. 

O presidente destacou que o programa promoverá melhorias sociais em diversos âmbitos, seja na saúde, no trabalho e na vida das pessoas. “Não tem nada mais sagrado do que uma mãe poder servir uma comida farta. Com o Brasil Sem Fome, as pessoas vão ter muito mais saúde, vão poder trabalhar, vão poder viver dignamente, não é só alimentação, é a qualidade de vida. É casa decente para morar, é água tratada para beber”, pontuou.

  

Presidente Lula assina o decreto do Plano Brasil sem Fome
Reprodução

   

Lula fez questão de relembrar de sua primeira passagem no Piauí ainda na década de 80 e seu carinho pelo estado e Nordeste. O petista enalteceu Wellington Dias e seus governos, bem como o governador Rafael Fonteles. O presidente disse que a palavra agora é “cuidar”, ao invés do termo “governar”. 

“Eu pessoalmente gosto do Piauí. Eu vim aqui pela primeira vez em 80 e o Rafael não era nem nascido. Viemos fundar o PT aqui. Meu carinho pelo povo desse estado é como se todos vocês fossem meus filhos. Eu respeito todos os estados, mas todo mundo sabe o carinho que tenho pelo povo do Nordeste. Porque o povo do Nordeste foi esquecido, foi maltratado. Graças a Deus quando eu vejo no Piauí e vejo a evolução que esse estado teve eu tenho que agradecer a Deus, mas tenho que agradecer vocês a coragem de vocês de votar neste Índio. Esse Índio é muito esperto. Ele é muito esperto. Tão esperto que conseguiu achar um mais esperto com ele”, brincou Lula. 

“Pegamos o país destruído”

Em seu discurso, Lula reiterou ainda que o Brasil Sem Fome quer que as pessoas voltem a ter acesso à cultura, em detrimento do que o país viveu no governo que o antecedeu. O chefe do executivo relembrou que sua gestão se deparou com o país com 14 mil obras paradas. 

“Esse desgoverno governo tudo, incentivava as pessoas Vamos comprar fuzil, vamos comprar bala, eu quero que o povo compre comida, livre e tenha uma vida melhor. O Brasil sem fome é isso.  Pegamos o país destruído. Recebemos o Brasil nem orçamento tinha, se não fosse o Marcelo, não teríamos dinheiro para começar o trabalho, pegamos o país com 14 mil obras paradas. A nossa tarefa é reconstruir esse país, e dar decência às pessoas, que essa meninada possa trabalhar e comer, criar suas famílias”, disse. 

  

Lula lança Brasil Sem Fome em Teresina
Divulgação

   

“É por isso que voltei a ser presidente da república. Quero provar mais uma vez que um metalúrgico, que não tem diploma universitário vai cuidar do povo melhor do que essa elite que não tem responsabilidade e cuidou desse povo ao longo de 500 anos. É cuidar. A palavra correta não é governar. Nós temos que cuidar desse povo. Esse povo está precisando de cuidado, de carinho, de respeito; é isso que nós vamos ter que fazer”, completou. 

O presidente ressaltou ainda o conhecimento científico e genético do país, como capacidade de crescimento sem precedentes. “Dizem que aqui se plantando tudo dá”, citou. Para ele, a problemática da fome não se dá pela falta de plantio, mas pela falta de acesso das pessoas à comida. 

“A fome não é vista pelos outros. Ela não dói pra fora, ela dói para dentro. O Brasil tem conhecimento científico, genético. O problema não é falta de plantar. O problema é que o povo não tem dinheiro para ter acesso a comida. É por isso que a gente só vai acabar com a fome de verdade quando a gente garantir que todo trabalhador vai ter um emprego. Comprarop que quiser pra comer, para vestir, para calçar é esse país que temos que construir [...] Acontece que a riqueza desse país não é distribuída em igualdade de condições”, completa. 

Lula se emociona durante o lançamento do programa

O petista se emocionou durante o evento. Em uma de suas falas, acerca da violência contra a mulher, Lula relembrou um exemplo familiar para rechaçar a prática, citando sua mãe que saiu de casa com os filhos após um episódio. E ainda sobre sua genitora, o presidente citou um conselho dado por ela em uma fala direcionada aos homens,

“Aos nossos companheiros homens, minha mãe dizia ‘meu filho, se um dia você brigar com sua mulher, nunca levante a mão e nunca levante a voz, trate a sua mulher com respeito, porque se seus filhos verem, você vai dar um exemplo ruim. Então, se não quisermos criar uma sociedade mais moderna, justa, mais solidária, sociedade com amor, como fator principal,  a gente nunca deve brigar dentro de casa e muito menos agredir as esposas da gente”, chamou a atenção. 

“Vocês vão ter muito orgulho do Rafael”

Em sua primeira passagem ao Piauí desde que assumiu a presidência, Lula teceu diversos elogios ao governo Rafael Fonteles. Como um líder estadual jovem, esperto e empenhado, o petista disse que o povo do Piauí terá muito orgulho de Fonteles e prometeu que toda vez que voltar ao estado, ele estará diferente. 

“Vocês vão ter muito orgulho pelo o que o companheiro Rafael vai fazer. Não só porque ele é novo, ele é importante porque ele pensa como vocês pensam. Ele não foi eleito pelos grandes ricos desse estado. Não tenho dúvidas que vou voltar aqui muitas vezes e cada vez que vier aqui, esse povo vai estar melhor, ajuda de Deus e do povo, que elegeu um governador extraordinário e excepcional, que vau fazer do Piauí um estado melhor”, declarou. 

  

Lula e Rafael Fonteles em Teresina Divulgação

   

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado