GUERRA

Na Ucrânia, piauiense Kedma Laryssa faz apelo: "façam o possível para nos tirar daqui"

Ela e mais duas brasileiras estão em um hotel desde o início da invasão russa à Ucrânia


A atleta piauiense, Kedma Laryssa Santos Araújo, de 20 anos, que está na Ucrânia, pediu as autoridades nacionais que façam de tudo para tirar ela e mais duas jogadoras brasileiras, Lidiane Oliveira de São Paulo e Gabriela Zidoi do Espirito Santo que estão no país. As três jogam no mesmo clube de futebol ucraniano, o Kryvbas Women. Nesta semana, o Governo do Piauí acionou a embaixada brasileira para resgatar a jogadora.

  

Na Ucrânia, piauiense Kedma Laryssa faz apelo: "façam o possível para nos tirar daqui" Reprodução

   

Em vídeo enviado ao A10+, a atleta afirmou que a situação da cidade onde mora, Kryvyi Rih, localizada no sudeste da Ucrânia, ainda está tranquila, mas ela pediu que as autoridades brasileiras façam o possível para que ela e as colegas retornem ao Brasil com segurança. 

“A situação na minha cidade é tranquila graças a Deus. Até agora não houve ataques, agora eu estou hospedada em um hotel junto com as meninas. Esperamos que isso acabe logo, que eles consigam entrar em acordo e façam o possível para que a gente possa conseguir sair daqui em segurança”, comentou.

Segundo Kedma Laryssa, o prefeito de Kryvyi Rih comunicou que a cidade está funcionando normalmente, enquanto não houver ataques.

“A cidade continua normal, todo mundo trabalhando. O prefeito da cidade emitiu um recado informando que tá tudo funcionando normalmente, transporte, hospital farmácia, mercado, tá tudo funcionando e bem abastecido para os próximos dias”, disse.

Ainda em vídeo, a atleta piauiense ressaltou o pedido de ajuda para autoridades brasileiras e assegurou aos familiares que está bem.

O governo do Piauí, junto do Consulado Brasileiro estão buscando formas de trazer de volta as três atletas ao Brasil. Até o momento, o Gabinete Militar e a Secretaria de Estado do Governo (Segov) realizaram contato com o Consulado e um ofício está sendo preparado para formalizar o apelo ao Ministério das Relações Exteriores e Embaixadas.

Entenda o caso

A invasão da Rússia na Ucrânia tem provocado estragos irreparáveis e mortes desde a madrugada desta quinta-feira (24). É o maior ataque de um país europeu contra outro do mesmo continente desde a Segunda Guerra Mundial. O clima é de insegurança e incerteza, principalmente para os moradores que vivem na região, entre eles, a piauiense Kedma Laryssa Santos Araújo, de 20 anos, que atua no time de futebol Kryvbas Women. A jovem está alojada em um hotel.  

  

Após anúncio de Putin, Kiev e outras cidades da Ucrânia são alvo de explosões Reprodução

   

Kedma se mudou para a Ucrânia em agosto de 2021 após sair do clube Tiradentes-PI, e mora na cidade de Kryvyi Rih, que está localizada no Sudeste do país. Ela atua como lateral-direita no Kryvbas Women. No clube atuam outras duas brasileiras: Lidiane Oliveira e Gabriela Zidoi. Elas são dos estados de São Paulo e Espírito Santo.

Matérias relacionadas:

Governador do Piauí aciona embaixada do Brasil para resgatar atleta piauiense na Ucrânia

Na Ucrânia, piauiense narra tensão após ataque russo: "continue orando"; assista

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.


Dê sua opinião: