Empresário é preso sob suspeita de participação na morte de Nicolau Terceiro - Maranhão
CRIME

Empresário é preso sob suspeita de participação na morte de Nicolau Terceiro

Ele era sócio em um dos negócios da vítima que tinha uma mineradora


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

(Atualizada às 15h21)

Um empresário identificado como Alberto Filho, de 49 anos, foi preso na tarde desta sexta-feira (27), no bairro Horto Florestal, zona Leste de Teresina, sob suspeita de ser o mandante do assassinato do empresário Nicolau Jorge Elias Waquim Terceiro, em novembro de 2022, na cidade de Timon, Maranhão. Ele era sócio em um dos negócios da vítima que tinha uma mineradora e um loteamento.

O delegado Otávio Chaves informou à TV Antena 10 que que existem outros suspeitos de envolvimento no crime, mas nenhum nome foi revelado ainda. No momento da pisão foi apreendido também um revólver calibre 38 junto com o suspeito.

A polícia acredita que o crime possa ter acontecido por questões financeiras ou por conta de algum desentendimento entre os sócios. A prisão aconteceu por volta do meio dia de hoje e ainda nesta sexta-feira Alberto Filho deverá ser encaminhado para o Presídio Jorge Vieira, em Timon, no Maranhão.

  

Nicolau Terceiro, sobrinho de Socorro Waquim, é executado a tiros em Timon
Reprodução

   

A família da vítima está abalada com a prisão, principalmente com a proximidade do suspeito com a vítima. Nicolau Terceiro é filho do promotor de Justiça aposentado Nicolau Waquim e sobrinho da ex-prefeita de Timon e atual deputada estadual, Socorro Waquim. Na época do crime, a vítima estava na cozinha de casa quando foi alvejada a tiros. 

O assassinato ocorreu por volta das 0h20 do dia 18 de novembro, em sua residência no bairro Parque São Francisco, em Timon, Maranhão. Não houve sinais de arrombamento na casa. Segundo a polícia, os suspeitos usaram o basculante da residência para efetuar os disparos.

  

Alberto Filho é apontado como mandante do assassinato de Nicolau Terceiro Reprodução

   

Em 23 de novembro de 2022, com faixas, balões e camisas brancas, familiares e amigos realizaram um ato cobrando a celeridade nas investigações da execução do empresário Nicolau Terceiro. Na época eles já acreditavam na hipótese de crime encomendado.

Ao A10+, Ulisses Waquim, primo de Nicolau e vereador da cidade, relatou que o sentimento da família é de clamar por justiça e que a manifestação também é por todos os familiares dos Timonenses que esperam justiça por seus entes.

"O principal motivo desse ato é que nós esperamos uma celeridade pra que a gente chegue a elucidação desse crime. Tem várias respostas em aberto, a gente não sabe inicialmente quem mandou matar, quais motivos que levaram esse crime que chocou a sociedade de Timon e acima de tudo que o Terceiro representa essas famílias que estão sem respostas na cidade", relatou.

Familiares cobravam constantemente as instituições para a elucidação do crime e que a solução seria uma resposta para a criminalidade, além de fazer justiça pela família. Kenedy Seba, amigo do empresário, detalhou ao A10+ que Nicolau não tinha inimizades. Para ele, o crime foi bárbaro e o amigo não merecia.

Matérias relacionadas

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado

Inscreva-se na nossa lista de emails para receber as principais notícias!

*nós não fazemos spam

Em destaque

Enquete

Qual sua opinião sobre o projeto aprovado pela Câmara que equipara aborto a homicídio

ver resultado