Caso Samynha Silva: dois meses depois, ninguém foi preso pelo assassinato de blogueira no Piauí - Polícia
HOMICÍDIO

Caso Samynha Silva: dois meses depois, ninguém foi preso pelo assassinato de blogueira no Piauí

O homicídio aconteceu dia 1º de outubro, na zona Leste de Teresina. A polícia investiga se a vítima tinha envolvimento com facções criminosas


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Dois meses após o assassinato brutal da blogueira Samya Silva, também conhecida como "Samynha", nenhum suspeito do crime foi identificado ou preso. No último dia 1º de outubro, a jovem pilotava uma motocicleta quando foi perseguida por dois homens e morta com pelo menos cinco disparos de arma de fogo.

O crime aconteceu na Avenida João XXIII, bairro São João, na zona Leste de Teresina, e Samynha morreu no local. Segundo o delegado Francisco Costa "Barêtta", do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a vítima estava em um clube com duas amigas e recebeu o alerta de que os suspeitos estavam olhando sua moto.

  

Dois meses depois, ninguém foi preso pelo assassinato de Samynha Silva, em Teresina
Reprodução

   

"Os dois indivíduos, em uma motocicleta, mandaram que ela parasse. Ela, simplesmente, parou e jogo o veículo no chão. As amigas saíram correndo, e o garupa a perseguiu, até que efetuou os disparos contra ela", disse o delegado, à época, ao A10+. 

Yrla Silva, uma das amigas que estava na cena do crime, publicou uma foto na qual mostra seu celular supostamente destruído por um tiro efetuado durante o assassinato de Samynha.

Nas redes sociais, circulou um vídeo com supostos áudios no qual a outra colega da blogueira relata como o crime aconteceu.


“A gente estava em uma saída e veio dois meninos novinhos que queriam tirar foto e que tinham reconhecido a moto dela, que estava lá fora. Esse menino e essa menina viram uns caras atrás de um carro olhando para a moto dela. Depois ela saiu pra pegar a moto e voltou, quando ela voltou foi bem na hora que os caras passaram e voltaram e ela já ficou ligada”, explicou.

Ambas foram ouvidas pela Polícia Civil e tiveram seus celulares e a motocicleta apreendidos. A investigação do caso segue sob responsabilidade do DHPP.


Quem era Samynha?

A blogueira acumulava cerca de 40 mil seguidores nas redes sociais e, frequentemente, estava envolvida em polêmicas. Uma delas foi a postagem de um vídeo, no qual Samynha defendeu a legalização da maconha.

“Vou fumar uma na praça e vou poder ficar livre, porque não vou ser chamada de maconheira safada. Legalizou p*rra. Que ótimo gente, agora vou poder fumar um na praça de boas e nenhuma ‘veia’ pai parar pra me dizer que eu sou uma maconheira safada, porque legalizou”, relatou.

Pelos grupos de WhatsApp circula um vídeo em que Samynha aparece dançando e fazendo um gesto com a mão que, supostamente, remete à símbolo de facção. Um tiroteio registrado em agosto em um posto de conveniência na zona Sudeste, onde três pessoas ficaram feridas, teria sido uma tentativa de matá-la.


As investigações tentam apurar se o crime está relacionado a facções criminosas. O A10+ tentou, mas não conseguiu contato com a família da blogueira. 


Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião:

Fique conectado