IMPUNIDADE

"Mesmo condenado ele está livre", lamenta familiar de vítima de Marcos Vitor, estuprador foragido

Estudante de medicina foi condenado a mais de 33 anos de prisão pelo estupro de duas meninas


Marcos Vitor continua foragido mesmo um ano depois das denúncias de abuso sexual contra crianças de sua família. Ele foi condenado nesta quarta-feira (16) a 33 anos, oito meses e sete dias de prisão, mas nada disso adianta para os familiares das vítimas, que continuam se sentindo injustiçados sem sua prisão.

Marcos está foragido desde que os casos de estupro contra sua irmã e prima foram revelados e o sentimento que fica para as vítimas é de impunidade. “Estamos tentando reerguer nossas vidas. A dor que tudo isso nos causa é enorme… perceber que mesmo condenado ele está livre, fazendo novas vítimas”, disse a familiar de uma das vítimas ao A10+.

  

Marcos Vitor foi condenado a 33 anos de prisão; ele está foragido há mais de 1 ano
Reprodução

  

Uma familiar falou ainda sobre a revolta a cerca a absolvição de Marcos em um dos casos de abuso. De todas as denúncias, ele foi condenado por apenas duas. “A absolvição por erro da justiça que é falha, ao não ouvir a criança, que não foi incentivada a lembrar da dor e agressão, faz ele ser absolvido… enfim, tudo isso no final beneficia a quem?”, indagou.

A familiar de uma das vítimas ainda desabafou dizendo que tudo o que foi feito foi para que outras crianças também entendessem o que é um abuso e tivessem coragem de denunciar caso sejam vítimas de algum crime, mas que pela impunidade já não acredita mais nesse princípio.

“Tudo que fizemos foi pra que ele não saísse impune e fosse exemplo pra que outras crianças pudessem ver que falar sobre importa, denunciar importa, mas após mais de um ano tenho minhas dúvidas quanto a isso, quanto a punição justa e a defesa do estado e sociedade para as crianças”, desabafou ao A10+.

Entenda o caso

O estudante de medicina Marcos Vitor Aguiar Dantas foi condenado a 33 anos, oito meses e sete dias de prisão em regime fechado pelo estupro de duas meninas, uma delas sua irmã. A decisão foi proferida pelo juiz Raimundo Holland Moura de Queiroz.

Pelo estupro da irmã, Marcos foi condenado a 23 anos e quatro meses e pelo estupro da prima a condenação foi de 10 anos, quatro meses e sete dias. Ele está foragido há mais de um ano. 

O estudante de medicina é acusado de estuprar quatro menores de idade em Teresina. Ele foi absolvido de uma terceira denúncia de estupro também contra uma prima.

Em janeiro deste ano, o Domingo Espetacular, jornalístico da Record TV, repercutiu nacionalmente o caso do estudante de medicina, Marcos Vitor Pereira, 22 anos, acusado de estuprar quatro crianças no Piauí.


📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião: