POLÍTICA

Marcelo Castro afirma que estados têm recursos para manter piso salarial da enfermagem

Senador, do MDB, esteve nesta segunda-feira (19) no programa Bancada Piauí, na TV Antena 10


O senador Marcelo Castro (MDB) esteve nesta segunda-feira (19) no programa Bancada Piauí, na TV Antena 10, e comentou sobre o reajuste do piso salarial dos profissionais de enfermagem, que foi aprovado pelo Congresso e sancionado pelo Presidente, mas suspenso em liminar pelo Supremo Tribunal Federal.

Nesta segunda-feira (19), em reunião entre líderes de partidos, diversas alternativas acerca do assunto foram discutidas e Marcelo Castro explicou sobre algumas delas.

  

Marcelo Castro, senador da República
Laura Parente/ A10+

   

"Há um entendimento de que o piso será cumprido obrigatoriamente por todos. Estados, municípios, santas casas filantrópicas e hospitais privados. Discutimos várias fontes de recursos, dentre elas é que os estados e municípios já têm recursos que estão alocados e esses recursos estão parados. Nós vamos flexibilizar e aprovar uma lei para que seja pago o piso. Outra ação que discutimos é fazer uma repatriação de recursos. Muitos brasileiros têm recursos no exterior e que para repatriar eles pagariam impostos”, explicou.

De acordo com Castro, existe uma boa vontade do Congresso Nacional em torno do reajuste. “Essa é uma causa de unanimidade. Todos estão dispostos a contribuir para achar uma solução”.

Reajuste salarial em 2023

O senador comentou ainda sobre as propostas de reajustes salariais para os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Castro conta que já houve propostas, mas que seu desejo seria uma conta mais igualitária para todos.

  

Marcelo Castro esteve nesta segunda-feira (19), no Bancada Piauí
Laura Parente/ A10+

   

“O Governo propôs de menos de 5% para os servidores do Executivo e há uma previsão proposta pelo Judiciário para o Judiciário de um aumento de 18% em dois anos, sendo 9% esse ano e 9% no ano seguinte. Esse é um problema de difícil solução, mas que vamos encontrar uma maneira. Os poderes que mais pagam são o Judiciário e o Legislativo e o poder executivo que paga menos está previsto isso e eu não acho justo. O justo seria que os que ganham menos ter um aumento maior. Cabe a mim como relator de orçamento discutir e encontrar fontes, mas o que está no meu desejo é que o aumento seja o mais próximo possível entre os poderes e não ficar um poder com o dobro”, explicou Castro.

Eleições 2022

Castro comentou ainda sobre a disputa pelo Governo do Estado este ano, que, segundo as pesquisas, está entre Sílvio Mendes e Rafael Fonteles. Marcelo Castro disse que o crescimento de Sílvio estaria ‘estacionado’ e que Rafael está crescendo cada vez mais a cada dia.

"As notícias são muito boas para nós e muito ruins para os nossos adversários. Nossa campanha está chegando com muita força e a deles perdendo o ânimo. As pesquisas vêm confirmando isso. As pesquisas mostram que o Rafael vem crescendo e o Sílvio não. O Sílvio estacionou”, pontuou.

📲 Siga o A10+ no Instagram, Facebook e Twitter.

Fonte: Portal A10+


Dê sua opinião: